carregando

Consultoria

A empresa não pagava o vale transporte. Em razão disso, ante a falta de recursos suficientes para arcar com o transporte coletivo, o pobre trabalhador fazia o percurso de ida e volta de bicicleta! Dezesseis (16) quilômetros! No caso concreto, ele faz jus ao vale transporte, considerando que não tinha gasto com transporte porque utilizava a bicicleta como transporte próprio?
Trabalhava em Angra dos Reis e Fui transferido para Reduc em julho de 2004, só recebi os benefícios da transferência depois que entrei na justiça. Quando me transferiram não providenciaram o transporte Angra X Caxias/REDUC. Tenho direito de receber o transporte correspondente? Em tempo: teria que utilizar os ônibus Angra X Conceição de Jacareí RJ. Conceição de Jacareí X Caxias, Caxias X Campos Elíseos RJ. Como não pude fazer esta viagem comprei uma casa em Campos Eliseos, viajando apenas no meio da semana e finais de semana em carro próprio. Cobrei do gerente este montante de aproximadamente dez anos e ele me sugeriu voltar para Angra dos Reis, RJ, me dando transferência sem ônus para a empresa conforme a transferência anterior em 2004.
É correto a empresa descontar do meu salario 6 dias que fiquei sem ir trabalhar por conta da empresa não ter colocado o transporte para que eu pudesse me locomover de minha residência ao trabalho.
Um funcionário é motociclista entregador de uma empresa. Ele trabalha na sua moto. Neste caso, a empresa pode fornecer uma ajuda combustível ao invés do vale transporte? Vai gerar direito trabalhistas, FGTS e INSS sobre este valor? Seria interessante a empresa pagar um aluguel de utilização do veículo para ele?
A Empresa disponibiliza vale transporte para os funcionários mas estes vem de carro próprio frequentemente, como sobra VT de um mês para outro no mês seguinte é facultado o pedido de VT, gostariamos de saber se está correto agir dessa forma e como devemos agir para regulamentar o fornecimento de VT.
O funcionário que justifica sua ausência ao trabalho através de atestado médico tendo, portanto, seu dia abonado pela empresa pode ter o valor correspondente de vale transporte referente aos dias de ausência descontados, levando em conta que o vale transporte é devido somente no deslocamento residência-empresa e vice-versa, o que não ocorre nos casos de doença?
A nossa empresa concede o vale transporte aos empregados, não faz o desconto de 6%, através de cartão de magnético de ônibus. É feita a recarga por quinzena, através de consulta ao relatório de saldo, no caso em que o empregado não utilize todos os créditos na quinzena, a empresa só complete o saldo de créditos para a próxima quinzena ou se o empregado não utilizou nenhum credito da quinzena anterior, não faz a recarga para a próxima. Os motivos que os empregados apresentam para a sobra de créditos são os mais diversos: carona, uso de veículo próprio, locomoção a pé, locomoção de bicicleta. Os empregados alegam que estão sendo lesados, pois acreditam que têm direito aos créditos quinzenais, independente da utilização. A empresa entende que está concedendo o vale-transporte para a locomoção para o trabalho/casa e que este não deve ser cumulativo. O procedimento adotado pela empresa está correto?
Empregado que usa veículo próprio pra deslocamento casa-trabalho e trabalho-casa, pode optar pelo não recebimento de vale transporte? A empresa pode pagar alguma ajuda de custo para combustível a esse empregado?
Tenho um empregado que mora em uma localidade da cidade que somente é servida por transporte intermunicipal e o valor da passagem é o dobro do municipio. Tenho que conceder o vale no valor desse ônibus intermunicipal ou no valor do municipio?
No decurso do contrato de trabalho um funcionário se casou e se mudou para uma cidade vizinha onde a esposa trabalha. Quando ele residia na mesma cidade onde a empresa está situada ele usava sua moto para se deslocar do trabalho para casa e vice-versa. Agora ele pode solicitar o vale transporte ainda que para transporte para cidade vizinha?
Um dos nossos empregados informou a todos que não está mais utilizando o Vale Transporte para o desclocamento empresa-residência, como determina a Lei, em função de ter passado a residir muito próximo da empresa. Porém esta informação não foi passada pelo mesmo ao setor responsável e nenhum documento que comprove sua nova residência foi entregue. Sendo tal situação do conhecimento de todos os empregados e considerando o uso indevido e ilegal do benefício, pode a empresa revogar tal benefício unilateralmente? Pode a empresa exigir do empregado que entregue seu novo comprovante de residência sob pena de advertência ou até mesmo demissão?
Uma funcionária que é beneficiária do Vale Transporte, confessou à Administração da empresa que está morando próxima ao local de trabalho, fato não comunicado ou comprovado por novo comprovante de residência e que está utilzando o Vale Transporte que recebe apenas para passeios e para beneficiar terceiros. Ela se recusa, porém, a assinar um têrmo de não benefiária, apesar do desconto de 6% em folha de pagamento. O que pode ser feito, neste caso, visto a confissão (sem mais provas) de uso irregular do benefício ? Obrigado.
Gostaria de saber qual a legislação que regulamenta o vale transporte? Quando ele é devido?
Gostaria de saber como a empresa pode oferecer o vale combustivel e se este valor integra ou não ao salário? Pode ser fornecido através de um vale combustível? Ou pagamento em dinheiro, mediante um recibo? Acredito que não integra o salário, pois eu vislumbro a natureza indenizatória e não salarial. Correto?
Gostaria de saber se a empresa deve pagar vale-transporte ao funcionário que se mudou a uma distância de 3 municípios da localização da empresa?
Vamos contratar um funcionário que reside em Holambra/SP e o mesmo irá trabalhar num centro de distribuição localizado em Campinas/SP a 40 Km de distância. O horário de inicio do trabalho será às 05:30h. Não tem como fornecer vale transporte devido não haver transporte neste horário. O funcionário pretende ir de moto própria e a empresa pagaria os custos disto. Como podemos fazer o pagamento desta maneira e de que maneira (ajuda transporte) para o mesmo. Pois terá o custo de combustivel, manutenção e depreciação da moto e de uma maneira que não venha posteriormente ser considerado como salário.
Quando a empresa envia o funcionário para realizar exame periodico em local fora do trabalho, legalmente tem que ser pago o vale transporte para o deslocamento de ida e volta do exame?
Qual a forma correta de se calcular o desconto de vale transporte, proporcional ou não proporcional?
O vale transporte é pago mesmo para o fucnionário que faltar ao trabalho ou apresentar atestado médico de até 14 dias?
O vale transporte é opcional? Como deve proceder o depto. pessoal para não enfrentar problemas futuros? Por que existem Juízes que consideram a verba obrigatória?

Página 1 de 2